Produtos da Valorização de Resíduos

O processo de tratamento e valorização de resíduos permite dar nova vida às matérias primas e obter produtos que voltam a entrar no ciclo de produção e de consumo.

Esta realidade dá força e demonstra a viabilidade de uma Economia Circular, que na prática permite poupar matérias primas virgens e fomentar a utilização de matérias primas secundárias. Na RESIESTRELA, este processo faz parte do nosso ADN há já vários anos.

 

Os processos produtivos são concebidos e explorados para que os seus sub-produtos sejam aproveitados com o máximo de eficiência.

Produtos

Os produtos resultantes da valorização de resíduos que se encontram disponíveis ao mercado, são Materiais para reciclar, Corretivos Orgânicos, e Energia.

Energia elétrica

Na Resiestrela a produção de energia é um vetor de inovação, e toda a energia produzida através dos resíduos é exportada para a Rede Elétrica Nacional.

 

A matéria orgânica presente nos resíduos existentes no aterro, vai-se degradando ao longo do tempo, dando origem a um gás, designado por BIOGÁS, o qual é constituído, principalmente, por metano (CH4 ) e dióxido de carbono (CO2 ).

 

O gás metano é o principal constituinte do Biogás, que possui as seguintes propriedades:

 

  • Elevado valor energético que pode ser utilizado como combustível;
  • É um gás cujo efeito de estufa é 20 vezes maior que o do CO2.

 

 

O Biogás que é produzido no Aterro Sanitário da Resiestrela, é captado através de uma rede de drenos verticais e horizontais e conduzido através de condutas até uma Unidade de Valorização Energética (UVE), onde se transforma em energia elétrica.

 

Em 2017 registou-se uma energia produzida de 4.48 Gwh, que foi injetada na Rede Elétrica Nacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Materiais para reciclar

A Resiestrela recolhe e envia para reciclagem matérias primas com inúmeras possibilidades de valorização.

Esta, é uma tarefa diária que inclui diversas tipologias de materiais:

 

  • Papel e Cartão;
  • Vidro;
  • Plásticos de embalagem (filme, PET, PEAD, EPS, Plásticos mistos e ECAL);
  • Metal de embalagem (alumínio e aço);
  • Plásticos não urbanos e/ou não embalagem;
  • Metais não embalagem; madeira;
  • Resíduos elétricos e eletrónicos (REEs).

Estes materiais, após serem triados nas nossas Unidades de Tratamento, são encaminhados para a indústria Recicladora.

 

 

 

 

Corretivos Orgânicos

A Resiestrela produz Corretivo Orgânico, na Unidade de Tratamento Mecânico e Biológico, a partir do tratamento e compostagem da fração orgânica de resíduos urbanos ou de resíduos verdes.

 

A utilização de Composto Orgânico na atividade agrícola é uma prática antiga, em que os agricultores convertiam e valorizavam os resíduos agrícolas em corretivos orgânicos que providenciavam nutrientes para as culturas e acrescentavam benefícios ao solo, aumentando a sua fertilidade, produtividade e biodiversidade.

 

O composto, como fator de produção agrícola é um Corretivo Orgânico, ou seja, um material que, pela sua riqueza em matéria orgânica, pode ser aplicado ao solo para melhorar ou conservar as suas características físicas, químicas e biológicas, potenciando a suas características de substrato para a melhoria da produção das culturas agrícolas.

 

A utilização de composto como corretivo orgânico é altamente vantajosa nos principais sistemas agroflorestais, nomeadamente nas vinhas e pomares, olival, culturas arvenses e hortícolas, nomeadamente ao:

 

  • Promover a agregação dos minerais do solo e consequentemente uma melhoria da sua estrutura, aumentando a resistência aos processos de erosão;
  • Aumentar o arejamento e a capacidade de absorção e retenção de água, regulando o fluxo hídrico do solo e prevenindo fenómenos de compactação e alagamento;
  • Aumentar a eficiência da utilização de fertilizantes, permitindo a redução da sua aplicação e ao potenciar a absorção de nutrientes, em particular do fósforo e cálcio;
  • Melhorar o desenvolvimento do sistema radicular das plantas;
  • Estimular o desenvolvimento de fauna e flora favorável no solo;
  • Aumentar a capacidade tampão do solo regulando as variações de pH e amenizando os efeitos da salinidade sobre as plantas, nomeadamente devido ao excesso de sódio

 

Aplicar Composto Orgânico produzido pela Resiestrela em solo e nos sistemas agroflorestais é ter a certeza de utilizar um corretivo estabilizado, ativo e concentrado em húmus, de fácil transporte e aplicação no solo, que permitem melhorar a estrutura e o seu nível de fertilidade. É também utilizar um produto de excelência para suprir o défice de matéria orgânica em muitos tipos de solos e promover o sequestro de Carbono. Tudo isto ao melhor preço.